MAUÁ NEWS
NOTICIÁRIO DA CIDADE DE MAUÁ E REGIÃO
NOTÍCIA ANTERIOR
Quase metade dos pacientes falta em consultas e exames no SUS
PRÓXIMA NOTÍCIA
Mauá busca recursos para saúde do município
sexta-feira, 21 de setembro de 2018
Região ganha 13 mil árvores em um ano
 Número é referente a 2017; especialista alerta sobre importância de mapeamento vegetal. Foto: Celso Luiz/DGABC
Somente no ano passado, a região ganhou 13.704 árvores de espécies nativas. O número, referente ao plantio feito nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano, corresponde a avanço tímido na ampliação de áreas verdes e na preservação do meio ambiente, conforme especialistas.

Por conta do Dia da Árvore, celebrado hoje, profissionais ouvidos pelo Diário ressaltam preocupação em relação ao tema no Grande ABC. Isso porque não há mapeamento arbóreo que aponte a situação dos exemplares já existentes.

“Ainda é preciso avançar bastante no controle de nossas áreas verdes. O poder público ainda desconhece suas árvores, com isso temos uma certa ineficiência no cuidado destas áreas. A população, por sua vez, também precisa participar deste processo de zeladoria”, explica o botânico e professor de Ecologia da UFABC (Universidade Federal do ABC), Marcio Werneck.

Estima-se atualmente que o Grande ABC conte com aproximadamente 226 mil espécies arbóreas. No entanto, não há levantamento recente que aponte os danos de cada uma das árvores.

Com a proximidade do período mais chuvoso do ano, a população, bem como o poder público, liga o sinal de alerta para o aumento de acidentes resultantes da queda dos exemplares. Em 2017, foram 257 quedas de árvores registradas nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano.

“A queda de árvores, em alguns casos, está relacionada diretamente a algum tipo de problema na estrutura”, aponta Werneck, ao emendar que a situação também pode estar atrelada a fatores climáticos.

Na tentativa de reduzir estes indicadores, municípios da região afirmam trabalhar na execução de planos de mapeamento de suas árvores. Em Santo André, a cidade afirma ter empenhado esforços na elaboração do Programa de Inventário Arbóreo, no qual são cadastradas as árvores da cidade. Até o momento, foram catalogados aproximadamente 3.200 exemplares.

São Caetano diz buscar um controle maior do seu contingente arbóreo, inclusive com nova lei que renovará as anteriores e fomentará a importância do controle das espécies. Uma das novidades é a implantação de software para controlar todo o manejo de árvores no município.

“A árvore é um símbolo da preservação do meio ambiente. Ela é responsável pela qualidade do ar, da água e da vida humana”, enfatiza Werneck.
Por: Daniel Macário - Diário do Grande ABC