MAUÁ NEWS
NOTICIÁRIO DA CIDADE DE MAUÁ E REGIÃO
NOTÍCIA ANTERIOR
Vereadores aliados podem impedir a votação do impeachment na câmara
PRÓXIMA NOTÍCIA
Câmara rejeita pedido de impeachment de Atila Jacomussi
quarta-feira, 16 de maio de 2018
Comissionados teriam recebido ordens para defender Atila nas redes sociais
Imagem circula nas redes e funcionários públicos teriam sido obrigados a colocá-la. (Foto: Reprodução)
Os funcionários comissionados teriam recebido ordens nesta segunda-feira (14) para apoiarem o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), enquanto o mesmo cumpre prisão preventiva, decretada pela audiência de custódia e depois confirmada pelo desembargador Maurício Kato, do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região).

A imagem acima, que circula nas redes, foi criada pelos aliados ao Prefeito, que também já utilizaram-se de Fake News (notícias falsas) para tentar limpar a barra do chefe do executivo mauaense. No entanto, o que chama a atenção, é a forma ditatorial como os funcionários públicos teriam sido tratados.

Esta imagem foi feita para que fosse divulgada em stories de todas as redes sociais e também existiria a opção de colocá-la como foto de perfil. Aos comissionados, restou escolher o que seria melhor para eles. O “não”, não era uma resposta que poderia ser dada, segundo fontes ouvidas pelo Mauá Agora.

Outros casos de coronelismo com os funcionários públicos

O Mauá Agora noticiou a denúncia feita pelo vereador Marcelo Oliveira (PT), de que funcionários públicos estavam indo de preto por conta de uma quebra de acordo feita por Atila enquanto ainda estava em liberdade. Entretanto, os mesmos estariam sendo repreendidos por seus respectivos chefes e mandados para setores que não são de suas competências por causa do protesto.

Na ocasião, Marcelo relatou que era apenas uma roupa e não uma manifestação. Portanto, a Prefeitura deveria ter mais compreensão com o caso e não repreendê-los dessa forma.
Por: Leonardo Constantino - Mauá Agora